Logo do Big Dia da Música

MATAKABRA

Experimental, Metal, Rock

Recife, PE

Aceita tocar na própria cidade

Integrantes

  • RAFAEL COUTINHO - Baixo
  • RODRIGO COSTA - Vocal
  • FERNANDO MARQUES - Guitarra
  • THEONY CLAUDIO ESPINDOLA - Bateria

Onde já tocou

Em Pernambuco (Recife, Olinda, Jaboatão do Guararapes, Cabo de Santo Agostinho, Garanhuns)
Cidades fora do Estado (João Pessoa/PB, Mossoró e Natal/RN, Maceió/AL, Aracaju/SE, Salvador/BA, Fortaleza/CE, Rio de Janeiro.

Site do artista

Biografia

O Matakabra surgiu em 2015 com a intenção de deixar sua marca no metal nacional. A soma dos seus riffs técnicos, a uma bateria com performances do metal extremo, criam o território perfeito para que a agressividade contida nas linhas de voz possa se manifestar. Em suas letras procura retratar com clareza a brutalidade e a violência do cotidiano da vida em sociedade. Qualquer um, mesmo sem os ouvidos atentos, pode entender a mensagem passada com essa atmosfera.

Em agosto de 2016 no lançamento virtual do seu primeiro EP, o Prole, fez a abertura para a banda paulista Project46. Na sequência ao lança-lo oficialmente no mês de novembro do mesmo ano iniciou a Prole Maldita Tour, sequência com mais de 20 shows espalhados em 7 estados do Nordeste. Finalizou o circuito ao dividir o palco em shows locais com as bandas Nervochaos e Torture Squad no ano de 2017.

Em novembro do mesmo ano realizou o lançamento de seu segundo EP, o Marginal. O evento de lançamento chamado MTK Fest foi o primeiro festival produzido pelo grupo e contou com a presença das consagradas bandas locais Decomposed God e Pandemmy. Iniciou 2018 com eventos ao lado de Ratos de Porão, Dead Fish e Project46, além de ter sua estreia no Grito Rock João Pessoa e no Festival Abril Pro Rock.

Sua base sonora transita do Black ao Death Metal, além de agregar em sua identidade a sonoridade de bandas do metal moderno. É forte a influência dos nacionais Krisiun, Project46. Os músicos Rodrigo Costa (vocal), Fernando Marques (guitarra), Rafael Coutinho (baixo) e Theo Espíndola (bateria), que já fizeram parte da cena underground do metal recifense, são os responsáveis pelo Matakabra.

O grupo adotou a filosofia do “faça você mesmo” e são os responsáveis pela produção dos seus dois EPs, e agenciamento de sua primeira turnê. Com o Prole (2016) conseguiu destaque em matéria do Jornal do Commercio e das revistas Rock Meeting e October Doom. Com o Marginal, fez um trabalho conceitual que denuncia o racismo existente na história e que ainda se faz presente na estrutura da sociedade brasileira. Com ele conseguiu indicações de melhores lançamentos nacionais para o ano de 2017.

Ver mais

Shows

Ainda não há shows confirmados ou em negociação

Ver mais

Playlist do artista

Prole (Ao Vivo)

Pesadelo

Prole

Mordaça

A Espera do Fim

Com as Próprias Mãos

Outras músicas: Cativeiro, Acerto de Contas, Executado , No Açoite

Ver mais
×

Baixe o aplicativo do DDM

Com o aplicativo do evento fica mais fácil de acompanhar os shows próximos a você.

Dúvidas/FAQ